MARIA JOÃO VICENTE

MARIA JOÃO VICENTE nasceu no Porto, em 1969. Tem o Curso de Formação de Atores da Escola Superior de Teatro e Cinema e a Licenciatura em Teatro e Educação pela mesma escola, onde é Professora Especialista na área de Interpretação, na Licenciatura em Teatro – ramo de Atores. Tem o título de Especialista em Teatro – Interpretação atribuído pelo Instituto Politécnico de Lisboa, em 2014.

 

Pertenceu ao elenco do Teatro Universitário do Porto, de 1988 a 1992, sob a orientação de António Capelo. Participou no espetáculo “O Jardim das Cerejeiras”, de A. Tchekov, com encenação de Rogério de Carvalho, no TEAR (1989). Lecionou a disciplina de Dramaturgia na Academia Contemporânea do Espetáculo do Porto. Foi coordenadora do DRAMAT – Centro de Dramaturgias Contemporâneas do Teatro Nacional S. João. Dirigiu os espetáculos da “Queima de Judas” de 2009, 2010 e 2011, em Vila Nova de Cerveira, numa parceria entre as Comédias do Minho e a Câmara Municipal de Vila Nova de Cerveira. Tem publicado diversos artigos sobre teatro.

 

Iniciou o seu trabalho com o Teatro da Garagem em 1993, como Diretora de Produção e Atriz, tendo participado em mais de 70 criações da Companhia. Em 2003 foi nomeada para Melhor Atriz de Teatro nos Globos de Ouro pela sua interpretação em “Adélia Z” e em 2009 foi-lhe atribuído o Prémio Melhor Atriz do Guia dos Teatros pela interpretação em “On the Road, ou a hora do arco-íris”. Atualmente é também a coordenadora do Comité Português da rede europeia de tradução e difusão de textos dramáticos contemporâneos – Eurodram.